A partitura não é um bicho de sete cabeças, mas sim de cinco

0
19

Apesar da brincadeira com o título deste artigo, referindo-se à quantidade de linhas que a partitura possui, ela não é algo complicado, embora seja relativamente complexa. Tudo o que é necessário para aprendê-la e apreendê-la é o contato e a prática constante. Tal qual fazemos quando estamos aprendendo nosso bom e velho português. Não nascemos sabendo falar, e muito menos dissemos que não iríamos aprender.
Foi pensando nisso que desenvolvi uma oficina para possibilitar ao participante um contato com a escrita musical, não importando se ele toca ou não um instrumento. Pois aprender a ler a pauta musical, antes mesmo de aprender a tocar, também pode ser um bom início, uma vez que ampliará a “visão” que se tem da música. Dessa forma, uma nova maneira de ouvir canções e sons pode ser alcançada.
Aliás, não estão exclusos aqueles que já estão na área há mais tempo! Serão também abordados assuntos mais avançados, de modo que o músico e a musicista experientes aprendam algo novo, ou simplesmente reforcem seu conhecimento, afinal, não existe técnica que não possa ser aprimorada.
A ideia surgiu após eu perceber que muitos ao longo da história, e também ao longo de minha história, consideraram a partitura ou dificílima ou desimportante. No entanto, comprovadamente, ela não é nem um, nem outro. Ela inclusive auxiliou a música ocidental a se tornar o que ela é hoje!
As inscrições estão abertas até o dia 26 deste mês, corra e garanta a sua vaga! Você pode se inscrever através do número Whatsapp (46)98800.3003.
Te vejo lá!

Fonte: Alan Santos