Alcast: Uma História de superação e conquistas

0
382
Hoje conversamos com o colaborador da empresa Alcast, Roberto Carlos Cassaniga,gerente corporativo de planejamento tributário/financeiro e Hedge. Ele conta um pouco da história vivenciada dentro da empresa, há mais de 23 anos. “Hoje estou com 45 anos e posso dizer que mais da metade de meu tempo de vida é aqui dentro da Alcast”, conta, lembrando que um fator interessante é que sua história na empresa é a segunda passagem pela mesma empresa, “porque meu primeiro emprego com carteira assinada foi aqui na Alcast, na metade do ano 1997, trabalhando na laminação”, lembra. Segundo o colaborador, a empresa fazia fundição e laminação de alumínio. “Forneciam para um polo que tem aqui no Sudoeste e logo depois faziam conjuntos antiaderentes. Já em 2001 a empresa começou a fabricar as panelas de pressão, a famosa “Panelux”, o que vem a ser hoje o carro chefe”, alegra-se. Cassaniga revela que assumiu diversas frentes de trabalho nesses mais de vinte e três anos de empresa, “e hoje sou gerente corporativo, função que exige muita responsabilidade”, pondera, dizendo que em seu setor tem a responsabilidade em todas as unidades, sendo uma delas a de Palmas, entre outras em Francisco Beltrão, Araucária, Curitiba e Itajaí. “A primeira vez aqui dentro trabalhei apenas alguns meses, morava longe, em uma chácara, vinha para a cidade estudar à noite e começava o trabalho Alcast às duas da manhã”, lembra, contando que vinha de bicicleta e depois do trabalho passava em sua mãe, “ela deixava uma marmita pronta, naquela época era muito difícil as coisas, mas me lembro como se fosse hoje o tamanho das dificuldades, foi um período complicado, mas sou muito grato, pois aprendi que é nas dificuldades que fazemos a diferença”, alegra-se. Diz que após sua primeira fase na Alcast, trabalhou na Serrarias Campos de Palmas tendo permanecido nesta empresa por um bom tempo, “depois retornei pela segunda vez para a Alcast, em Abril de 2001 e estou até hoje”, lembra. Quando voltou para a empresa, já era técnico de contabilidade, logo iniciou a faculdade de Ciências Contábeis, concluída em 2006, nunca parou de estudar, fazendo cursos de pós-graduação; junto com a empresa, demais colaboradores e proprietários percebeu que era necessário acompanhar toda essa evolução, sendo que a empresa tem neste período um crescimento médio de 35% por ano. “Só para entender melhor hoje a empresa fatura em um dia mais do que faturou em um ano em 2001, sendo que quando iniciou a fabricar panelas era uma produção de quatro mil unidades diárias e hoje a produção diária aumentou 500%, “então isso é um dos fatores que nos ajuda a não parar de crescer aqui dentro, principalmente no que diz respeito a sempre buscar mais conhecimento para aplicar no ambiente de trabalho”, destaca dizendo que às vezes o pessoal de fora pode achar que a gente sempre está fazendo a mesma coisa, mas não é assim! “Temos que acompanhar a evolução e enfrentar vários paradigmas, essa é a realidade de uma grande empresa e seus colaboradores. Então para se ter uma ideia, em 04 de Abril de 2001, quando eu cheguei aqui eles estavam trocando o sistema, que era um sistema de prateleira, era um sistema onde vendia um disquete e esse era um sistema operacional da empresa, eles estavam tirando um sistema e colocando outro, mas perto do que é hoje não tem comparação, isso dizendo que há uns dois anos atrás a empresa implantou o  sistema que se chama SAP, é o sistema mais sofisticado do mundo, sendo que mais de 70% do faturamento do mundo passa por esse sistema, esse é um exemplo da evolução que acompanhamos, esse é um ponto importante que eu vejo da dinâmica da administração e também o respeito, seriedade e foco na excelência”, admira-se dizendo que tudo vem dos acionistas. “O DNA da empresa, são eles que determinam, sendo eles os senhores Abelson e Elisandro, sempre buscando fazer o melhor pela indústria e seus colaboradores, e a equipe aqui dentro, todos são bem qualificados”, finaliza.

Fonte: Jocemar Ferreira da Silva
Para o Jornal Destaque Regional