João Pimenta

0
29

Eleições do Conselho Tutelar sob suspeita
As eleições que elegeram representantes do Conselho Tutelar em Palmas estão dando o que falar. Várias denúncias de irregularidades foram publicadas nas Redes Sociais. São suspeitas de compra de votos, suspeitas de condução ilegal de eleitores, suspeitas de boca de urna, tudo denunciado à própria Comissão Eleitoral, coordenada pela Prefeitura de Palmas e fiscalizada pelo Ministério Público.
Suspeitas recaem também sobre Comissão Eleitoral
Várias negligências são apontadas por alguns candidatos, os quais preferem não se identificar para não sofrer represálias. Dentre elas, eles destacam que a Comissão Eleitoral pode ter ferido inúmeros princípios regimentais e editalícios. Alegam também truculência por parte de membros da Comissão Eleitoral, como se escolhessem a quem tratar com mais zelo e a quem tratar com mais aspereza.
Procuradora do Município é acusada de encobertar atos ilícitos
Candidatos que nos procuraram denunciaram que a própria procuradora do Município teria, supostamente, encobertado atos ilícitos. Segundo as denúncias, todas as suspeitas foram repassadas a ela, que nada teria feito para responder. “Temos provas, printes e até áudios”, disse um dos denunciantes.
Algumas suspeitas de ilicitude foram tornadas públicas
Chegou até nós uma “Carta aberta”, em que os denunciantes declaram que a Comissão eleitoral teria “assinado as listas de votantes pelos analfabetos”, dizendo que quando uma pessoa é analfabeta, ela própria precisa assinar a lista com um carimbo de sua digital e não os mesários. Outro ponto da denúncia foi de que havia divergência entre o número de votos nas urnas e o número de assinaturas nas listas, dentre outras.
Justiça determina recontagem de votos
Em decisão Liminar, o Juizado da Infância e Juventude de Palmas determinou a recontagem dos votos, devido ao candidato que ficou em sexto lugar ter obtido apenas um voto de diferença do candidato que ficou em quinto lugar. A recontagem ficou para as 14 horas do último dia 10 de outubro e até o fechamento desta Edição, não tínhamos o resultado final. De qualquer forma, a determinação de recontagem aumenta ainda mais as suspeitas de indícios. Candidatos afirmam que na verdade deveria fazer novas eleições e não recontar, pois suspeitam que o pessoal da prefeitura poderia manipular listas, votos nas urnas e cédulas restantes, em branco.

Atenção: esta coluna é escrita e editada pelo jornalista Rodrigo Kohl Ribeiro MTB: 18.933, de sua inteira e irrestrita responsabilidade. Qualquer sugestão ou crítica, pode ser enviada para o e-mail joaopimentadepalmas@gmail.com ou pelo WhatsApp 46 98820-4604.