O ULTIMATO DE DEUS; E ALERTA DIVINA, PARA OS PASTORES DO CRISTIANISMO

0
136

Deus mandou eu falar para os pastores, pregar somente o sangue do testamento de Cristo, da legislação cristã, a lei da graça, a estabelecida por Cristo e encontrada no Evangelho, a lei vigente que está em vigor; o testamento dado ao povo gentio; qual os gentios e os judeus são unidos por Deus mediante a cruz de Cristo; (Ef. 2:11), para o cristianismo, a religião de Cristo.

Os gentios que se convertem a Cristo; pois gentio, S.M. aquele que professa a religião pagã: idólatra; mas crente está debaixo da lei de Cristo, é para respeitar a legislação cristã.

O mandamento de Cristo: ide por todo mundo, pregai o Evangelho a toda a criatura.

Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado (Mc. 16:15-16).

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. ninguém vem ao Pai, senão por mim (Jo. 14:6).

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (Jo. 8:32).

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Unigênito. Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (Jo. 3:16).

Com o fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que primeiro esperamos em Cristo.

Em quem também vós estais, depois que ouviste a palavra da verdade, o Evangelho da vossa salvação, e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa.

O qual é penhor da nossa herança, para redenção da possessão de Deus, para louvor da sua glória.

Pelo que, ouvindo eu também a fé que, entre vós há no Senhor Jesus, e a vossa caridade para com todos os santos, não cesso de dar graças a Deus por vós, lembrando-me de vós nas minhas orações; para que o Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da Glória, vos de em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação (Ef. 1:12-17). Porque a lei foi dada por Moisés, a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo (Jo. 1:17).

O qual Deus nos fez também capazes de ser ministros dum Novo Testamento, n ao da letra, mas do espírito, porque a letra mata e o espírito vivifica (II Cor. 3:6).

Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é, as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo (II Cor. 5:17).

Deus mandou eu falar para os pastores, não pregar mais o sangue do testamento dos touros e dos bodes, da legislação mosaica, dada ao povo de Israel, a doutrina judaica, o judaísmo a religião dos judeus, porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados (Heb. 10:4).

Não profanar o sangue do testamento, santo, da lei divina de Cristo, da nossa salvação.

Porque se nós, sendo inimigos, formos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais seremos salvos pela sua vida (Rom. 5:10).

De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão.

Todos aqueles, pois que são das obras da lei estão debaixo da maldição, porque escrito está, maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.

E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé.

Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós, porque está escrito, maldito todo aquele que for pendurado no madeiro.

Para que a benção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do espírito, irmãos, como homem falo, se o testamento de um homem for confirmado, ninguém o anula nem o acrescenta (Gal. 3:9-15).

Mas a escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes e não devemos chamar a Deus pelo nome de Jeová, pois Jeová não é Deus, não é língua ou idioma de uma nação, é um apelido que os hebreus davam a Deus: o judaísmo.

Por isso, Deus proíbe pregar o sangue do testamento dos touros e dos bodes, o testamento mundano, terreno, secular e temporal, das leis mosaicas, a doutrina judaica, a qual está fora da lei de Deus, na ilegalidade, os fora da lei, deixando de pregar a lei da graça, para pregar a lei da desgraça, a maldição da lei.

Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrenta, animal e diabólica.

Porque onde há inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa.

Mas a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia.

Ora o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz (Tg. 3:15-18).

A minha missão aqui na terra, é de ser ministro da justiça, escolhido especialmente por Deus para o serviço do santuário e para preservação, transcrição e interpretação da lei, e levanta-te e põe-te sobre teus pés, porque te apareci, por isto, para te pôr por ministro e testemunha tanto das coisas que tens visto como daquelas pelas quais te aparecerei ainda.

Livrando-te deste povo, e dos gentios, a quem agora te envio, para lhes abrires os olhos, e das trevas os converterdes a luz, e do poder de Satanás a Deus, a fim de que recebam a remissão dos pecados, e sorte entre os santificados pela fé em mim (At. 26:16-18).

Devemos testificar a palavra de Deus, a lei evangélica, a única doutrina de Cristo, doutrina, S.F. conjunto de princípios que servem de base a um sistema religioso, político ou filosófico, rudimentos da fé cristã.

E o espírito é o que testifica, porque o espírito é a verdade.

Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo, e estes três são um.

E três são os que testificam na terra, e estes três concordam num.

Se recebemos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é maio, porque o testemunho d Deus é este, que se de seu Filho testificou. Quem crê no filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho, quem a Deus não crê mentiroso o fez, por quanto não creu no testemunho que Deus de seu Filho deu.

E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna, e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida, quem não tem o Filho de Deus, não tem a ida (Jo. 5:7-12).

Mas Cristo nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz, vós que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia (I Pedro 2:9-10).

Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado, e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém (Mt. 28-19).

Emanuel é para cumprir.

Cumpridor aquele que cumpre, executor, testamenteiro.

Testamenteiro, S.M. aquele que cumpre ou faz cumprir um testamento, aquele a quem o testador incumbe expressamente de cumprir as disposições da sua última vontade.

Aquele que prega o sangue do testamento de Cristo é testamenteiro de Cristo, e está no cristianismo. E o que prega o sangue do testamento dos touros e dos bodes, é testamenteiro dos touros e dos bodes, e não de Cristo, e está no mosaísmo, doutrina de Moisés, a religião de Moisés, o judaísmo.

As leis de Moisés, fora da legalidade, contra as leis de Deus, a lei da graça, a estabelecida por Cristo. (20 de fevereiro 2019).

Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor (I Cor. 14:37).

Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros e a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas… (I Cor. 12:27-28).

E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório.

Mas os seus sentidos foram endurecidos, porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição de velho testamento, e qual foi por cristo abolido.

E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles (II Cor. 3: 13-15).

O que prega o sangue do testamento de Cristo, está ensinando teologia, a doutrina de Cristo.

O que prega o sangue do testamento dos touros e dos bodes, está ensinando teologismo, S.M. abuso dos princípios teológicos, sofisma religioso, raciocínio falso, com certa aparência de verdadeiro, argumento capcioso, engano, logro.

Este povo honra-me com o seus lábios, mas seu coração está longe de mim, mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens (Mt. 15:8-9).

Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador. Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas.

Todos que vieram antes de mim são ladroes e salteadores, mas as ovelhas não os ouviram.

Eu sou o bom pastor, o bom pastor da a sua vida pelas ovelhas, o sangue do testamento de Cristo, dado ao povo gentio (Jo. 10:1-11), o testamento de Deus, é este.

Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados (Mt. 26:28).

O sangue do testamento dos touros e dos bodes, dado ao povo de Israel, é este.

Porque havendo Moisés anunciado a todo o povo todos os mandamentos segundo a lei, tomou o sangue dos bezerros e dos bodes, com água, lã, purpúrea e hissope, e aspergiu tanto o mesmo livro como todo o povo. Dizendo: este é o sangue do testamento que Deus vos tem mandado (Heb. 9:19-20).

Todo aquele que prega o testamento dos touros e dos bodes, a doutrina judaica, a lei de Moisés, é ladrão e salteador, todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores, disse Jesus, deixando de pregar o Evangelho, a doutrina de Cristo, para pregar a doutrina de Moisés, sendo lobo e falso profeta, bode e não ovelha, que não ouvi os profetas do Senhor, sendo o anticristo, porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne, este tal é o enganador e o anticristo (II Jo. 1-7).

Mas ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro Evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema (Gl. 1-8).

Porque se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados, mas uma certa expectação horrível de juízo e ardor de fogo, que há de devorar os adversários. Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas. De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue do testamento, com que foi santificado, e fizer agravo ao espírito da graça? Porque bem conhecemos aquele que disse: minha é a vingança, horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo (Heb. 10:26-31).

Getúlio L. de Abreu; Apóstolo de Cristo