POLÍTICAS ERRADAS. MAIS UMA VEZ.

0
8

Os economistas David Card, Joshua Angrist e Guido Imbens ganharam o prêmio Nobel de Economia de 2021 por serem pioneiros em experimentos naturais que mostram os impactos econômicos do mundo real, pelo estudo dos mercados de trabalho e pelos métodos para analisar relações casuais. Antes das pesquisas, achava-se que subir o salário mínimo levaria ao aumento significativo no desemprego. Hoje, após dezenas de estudos na ‘pegada’ de Card, o consenso é que o efeito no desemprego em muitas circunstâncias é pequeno.

A Academia Sueca enfatizou especialmente a importância de seus trabalhos sobre o salário mínimo, uma questão de plena atualidade em economias avançadas, imigração e educação no mercado de trabalho. Suas pesquisas desafiaram a sabedoria convencional ao mostrar, entre outros, que aumento do salário mínimo nem sempre gera destruição de postos de trabalho.

No Brasil, Paulo Guedes erroneamente segura o valor do salário mínimo e alega que sua elevação gera desemprego e alta inflação. Na atual gestão, o salário mínimo médio no período de 2019 a 2021 é US$ 215,00; no período de Temer, US$ 249,00; e Dilma, US$ 308,00. Conforme os laureados na Academia Sueca em 2021, não se deve focar somente na redução do crescimento do valor do salário mínimo. As ações de Guedes confirmam minhas acusações desde 2018, de que ele é, na verdade, um jogador no mercado financeiro e não entende de políticas econômicas públicas.

Ainda sobre coisas erradas, com intuito de participar da Expo Dubai 2020, que acontece neste ano, o governo brasileiro enviou 69 pessoas que custou inicialmente R$ 3,6 milhões: falta ainda o pagamento das diárias que é US$ 350 por pessoa. Só de passagem aérea, foram gastos R$ 1,17 milhão. Além disso, a Embratur gastou, sem licitação, R$ 2,3 milhões à montagem dos estandes de drywall. A farra com dinheiro público em Dubai é um acinte à sociedade, ainda mais neste momento com dólar nas alturas, economia devastada pela pandemia e assombroso desemprego. O problema desse governo deficitário não é apenas gastar muito, mas sim gastar mal.

A inflação cresce no mundo, mas só três países apresentam graves problemas: Brasil, Argentina e Turquia. O governo erra muito e não é só na economia, mas também em conjuntura, definições políticas que afetam o futuro da economia como a climática e a ambiental. Bolsonaro não destruiu o grosso da lei ambiental, mas incentivou o descaramento de grileiros, garimpeiros e ogros do agronegócio, que ocuparam tantas terras como o terreno político-institucional. Quando o país trocar a presidência e voltar a ter um governo de fato, será difícil repelir essas bárbaras invasões. O objetivo de Bolsonaro resume-se às eleições e à permanência no poder.

Desigualdades sociais e econômicas produzem efeitos nefastos sobre todos os âmbitos sociais. Um país desigual não oferece as mesmas oportunidades aos seus cidadãos. Os governantes atuais não são competentes!

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here