Palmas conta com novo médico neurocirurgião

0
129

Palmas conta com o médico neurocirurgião Bernardo Patrocínio. Na oportunidade, ele destaca que foi bem acolhido pela cidade. É responsável pelo serviço de neurocirurgia no Hospital Santa Pelizzari, dando atendimento a toda a região sudoeste do Paraná e região oeste de Santa Catarina.
Vindo de Campinas, São Paulo, já atuou em Pato Branco por 15 anos. Em sua trajetória conta com inúmeras cirurgias, sendo especialista em cirurgias cerebrais e de coluna. Ele explica que na área de coluna o procedimento é diferenciado, onde é feita anestesia local e a recuperação é bem mais rápida.
Além das cirurgias atua em tratamentos em ambas as partes de atuação e ressalta “gosto muito do que eu faço. É uma área desafiadora e isso me atrai e me motiva. Meu filho está formado em medicina e está se especializando nesta área. Além dele a minha nora também”.
Saiba mais: cirurgia endoscópica de coluna – uma evolução para o bem
Opção segura e de resultado para mínima invasão na cirurgia da coluna.
Atualmente, conforme evolução da tecnologia cirúrgica, não existe mais indicação para cirurgia aberta no caso de hérnias de disco em coluna lombar aonde não exista instabilidade prévia, evidenciada por exame de RX dinâmico.
Para todas as doenças discais hoje é possível o acesso endoscópico, através de mínima incisão na pele (cerca de 0,5 – 1 cm) na maioria das vezes com anestesia local e leve sedação. Em geral são procedimentos que levam até 30 min, sendo poucos os que vão além, com a grande vantagem para o paciente, pois pode levantar logo após a cirurgia e receber alta em poucas horas (em geral em torno de 2 horas) não havendo necessidade de permanecer no hospital e podendo voltar as suas atividades em poucos dias.
Este tipo de procedimento vem sendo realizado já há alguns anos, e atualmente pode ser realizado na maioria dos hospitais, necessitando apenas de profissionais treinados, já que o aprendizado costuma ser mais extenso do que para outros procedimentos de coluna.
Isto é um grande avanço para o paciente pois a recuperação é muito rápida, os riscos são muito menores, a dor pós-operatória é mínima, e o retorno às atividades habituais ocorre em poucos dias, evitando os longos períodos de recuperação necessários para a cirurgia tradicional, e a restrição de movimentos e atividade.
No passado costumava-se manter o paciente na cama por dias, e a evolução das cirurgias menos invasivas foi progressivamente mudando este quadro, até chegar ao momento atual em que o paciente chega ao hospital, faz sua cirurgia e em seguida já pode ir embora para casa, voltando a sua vida normal em poucos dias.Porém é importante ressaltar que mesmo nesses casos é necessário um trabalho de reabilitação, não apenas para a recuperação cirúrgica, mas principalmente para evitar a continuidade da agressão ao disco lombar.
(Bernardo Patrocínio–
www.neurocirurgiadrbernardo.com.br)
Formação
Formado pela Universidade Federal Fluminense em 1985, concluiu a residência médica em neurocirurgia no Hospital Universitário Antônio Pedro – UFF.
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia por concurso.
Membro Titular da Academia Brasileira de Neurocirurgia e da World Federation of Neurosurgical Societies.
Formação principalmente voltada para cirurgia vascular cerebral, cirurgia de base do crânio e cirurgia minimamente invasiva de coluna, tendo participado de: IV Spine Course – Live Surgery & Cadaver Lab Degenerative Anterior & Posterior – Universidade de Buenos Aires; VIII Latin American Forum (LAF 2011) – Cidade do México; curso de “Técnicas de Mínima Invasión en Columna: Enfermedad Discal Degenerativa e Taller de Disc-FX” – Bogotá – Colombia; treinamento em “Surgical Technique Introduction Workshop of the Hoogland Spine Products GmbH” – Bonn – Alemanha.

Fonte: Daiane Martins