Divisão de Meio Ambiente promove discussões em relação a coleta seletiva em Palmas

0
229

O chefe de Divisão do Meio Ambiente Jocemar Ferreira da Silva juntamente com o Engenheiro agrônomo João Duarte promoveram na manhã da última quinta(09) uma reunião com os representantes da Transolidos empresa licitada para coleta do lixo na cidade e com representantes da CRI empresa que administra o aterro sanitário de Palmas para debater a coleta seletiva no município.
A iniciativa prevê a busca de soluções para uma problemática antiga em torno da coleta de lixo reciclável, uma vez que este material não vem sendo separado causando inúmeros transtornos, como acúmulo em locais impróprios e falta de informação de como e onde a população pode fazer o descarte.
Várias sugestões foram apresentadas dentre elas a campanha de conscientização através de folders e imãs de geladeira e a criação de um canal de informações através de telefone gratuito (0800) para que as pessoas tenham contato direto com a empresa responsável, o material impresso além deste telefone também deverá conter o cronograma de coletas, outra sugestão foi a criação de um materia educativo para ser trabalhado nas escolas, uma cartilha contendo as informações referente a necessidade da separação do lixo.
O engenheiro agrônomo João Duarte ressaltou a preocupação em relação ao meio ambiente uma vez que a prefeitura tem a obrigação de fiscalizar, contudo a conscientização é de extrema importância pois a separação nem sempre é feita da forma correta, ele informou ainda que esse trabalho de separação do lixo é de responsabilidade das empresas contratadas, mas a prefeitura através do Departamento de Agricultura e Meio Ambiente é parceira nas ações que visam melhorias para os munícipes.

Para o chefe da Divisão de Meio Ambiente Jocemar Ferreira da Silva, a busca das soluções em prol do meio ambiente é de fundamental importância enfatizando que a destinação correta de resíduos além de tornar a cidade limpa também reduz inúmeros problemas como acumulo de lixo sem destinação que pode cair na rede pluvial trancando as galerias e causando inundações sem contar nos riscos para saúde como a proliferação de insetos, bem como o mosquito Aedes Aegipty transmissor de doenças graves como dengue, febre chycungunha e zica virús.

Fonte: JDR