Marini Compensados Duas Décadas: A História contada pelos seus autores

0
49

Jean Carlos Verdi hoje com 34 anos e há mais de 11 anos fazendo parte da indústria Marini Compensados comenta um pouco de sua história para os leitores do jornal Destaque Regional:
“Iniciei na laminadora em um serviço braçal, mas a empresa evoluiu muito, e hoje está bem modernizado e também fiquei apenas dois meses naquele setor, logo após recebi uma oportunidade em trabalhar em outra área, mas com o passar do tempo foram surgindo outras oportunidades, então abriu o setor de qualidade a noite e lá fiquei por mais um bom tempo, aprendi muitas coisas, a exemplo de bater cola, aprendi fazer gramatura, aprendi sobre os processos da madeira e ali que eu me identifiquei mais, então comecei a me dedicar mais, pois eu era muito encabulado. Atualmente estou trabalhando no pátio de toras, no carregamento e descarregamento.
Em todos os setores que passei posso dizer que fiz boas amizades com meus companheiros de trabalho e aqui na empresa sempre fui bem acolhido, me sinto em casa aqui dentro dessa indústria, ela prepara o colaborador pra se aperfeiçoar e evoluir conforme vai evoluindo a empresa. Recentemente vem tendo um curso de liderança tudo custeado pela empresa, isso é exemplo de uma indústria que se preocupa com os funcionários, só temos que fazer a nossa parte.
Quero ressaltar aqui que foi daqui que constitui minha família e construí minha casa, hoje tenho meu lar, minha filha, meu carro e foi aqui que conheci minha esposa, então só tenho que agradecer a Deus e a família Marini que acreditou em mim, e sempre me ajudou nos momentos difíceis também.
Acontecimento que me marcou aqui dentro da indústria:
Minha esposa teve uma gravidez de risco e naquela época nós não tínhamos condições financeiras, e sempre tínhamos que nos deslocar para Pato Branco, foram inúmeras vezes e a empresa sempre deu todo o suporte, tanto no lado financeiro quanto me dispensando para acompanhar minha esposa.
Outro caso que aconteceu aqui foi quando me acidentei dentro da indústria, fui levado ao hospital e a dona Ivania foi lá no hospital me ver, sempre indo me visitar e sempre também me mandava mensagem pra saber como eu estava.
Então posso dizer que sou grato a empresa e quero tornar público meus agradecimentos aos donos dessa indústria e eu há mais de 11 anos ainda fazendo parte dela, mesmo em relação a crise que teve no compensado há pouco tempo a indústria continua firme e forte e sempre valorizando seus colaboradores como é de praxe. Então aqui fica meu muito obrigado aos meus companheiros de serviço e aos donos dessa indústria por tudo que fizeram por mim e continuam fazendo”.

Fonte: Jocemar Ferreira da Silva
para o Jornal Destaque Regional

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here